Área de usuário
Efectue login ou registe-se
Alexa Rank
0
SEOmoz
0
PageRank
/ 10
pontos
0
Examinemos com sinceridade a nossa existência. Onde estamos na vida? Quais têm sido as nossas prioridades até ao momento, e que projectamos para o tempo que nos resta? Somos uma mistura de sombras e de luzes, de qualidades e de defeitos. Existirá realmente uma maneira de ser óptima, uma realidade inelutável? Se não é esse o caso, como remediar a situação? Trata-se de perguntas que merecem ser feitas, sobretudo se sentimos que seria desejável e possível uma mudança. Contudo, no Ocidente, devido às actividades que ocupam de manhã à noite uma parte considerável da nossa energia, temos menos disponibilidade para nos debruçarmos sobre as causas fundamentais da felicidade. Imaginamos, de uma forma mais ou menos consciente, que quanto mais multiplicamos as nossas actividades, mais as nossas sensações se intensificam e mais se desvanece o nosso sentimento de insatisfação. Na realidade, muitas são as pessoas que, pelo contrário, estão desiludidas e frustradas com o modo de vida contemporâneo. Sentem-se despojadas, mas não vêem outra solução porque as tradições que preconizam a transformação pessoal caíram muitas vezes em desuso. As técnicas de meditação visam transformar o espírito. Não é necessário colocar-lhes um rótulo religioso particular. Todos nós possuímos um espírito com o qual podemos trabalhar.

Partilhar este blog
Inserido por a 08 mai, 2012 na categoria Filosofia
ver todos os blogs deste autor
Mais blogs deste autor
Este autor ainda não inseriu mais blogs.
ver todos os blogs relacionados

Outros blogs relacionados