E como vivo? Vivo!

Um pouco de poesia, muito sentimento e muita sinceridade. Sempre com o cotidiano como fronteira. Sempre com as fronteiras se expandindo. “E como vivo? Vivo!” é não só a frase entoada por Rodolfo em La Bohème, como também o resumo da Ópera. Como vivo? Vivo. E mais viveria, se não fora, para tão longa vida, […]