E como vivo? Vivo!

E como vivo? Vivo!Um pouco de poesia, muito sentimento e muita sinceridade. Sempre com o cotidiano como fronteira. Sempre com as fronteiras se expandindo. “E como vivo? Vivo!” é não só a frase entoada por Rodolfo em La Bohème, como também o resumo da Ópera. Como vivo? Vivo. E mais viveria, se não fora, para tão longa vida, tão curta a vida.

Publicado por Virgílio Vettorazzo

Engenheiro metido a poeta, poeta metido a engenheiro. Se bobebar, nada de nenhum deles, mas "o que importa é ter saúde", que por sinal também me falta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *